O bom da decepção é a inspiração!

O tempo passa, lições são vividas e aprendidas, mas nada impede que os erros sejam repetidos. Prometi tanto que não deixaria mais ninguém se aproximar, que ninguém derreteria o castelo de gelo que construí em volta de mim. Cumpri a promessa por um bom tempo. Conheci e me apeguei a pessoas... me obcequei por algumas, mas nada além... Nunca entreguei meus pensamentos a nenhuma delas.

Até você aparecer. Chegou de leve, suave e me mimando. Brincou comigo, brinquei com você, brincamos juntos, nos curtindo em nosso mundo paralelo, particular. Nunca liguei pro que diziam-me sobre você, nunca me importei se você prestava ou não, o que me importava era quem você era ali comigo. Curtia nossos momentos, mas nunca realmente me entreguei. Foi um baque quando descobri que você fazia a mesma coisa que eu: se protegia. De mim. Você tinha medo de mim. Medo de meu jeito largado, de meu jeito de festar, de meu jeito menina que não sabe o que quer. E ao descobrir isso eu tive vontade de mudar. Tive vontade de tirar as barreiras que impus ao meu redor. Quis que você enxergasse o que eu descobri, que você lesse nas entrelinhas do meu livro. Quis deixar a menina festeira de lado e te mostrar a mulher companheira que eu sou também. Pisei em meu orgulho tantas vezes, fui atrás mesmo quando o erro não foi meu, mas você nunca enxergou. Você brigava comigo, eu brigava com você, passava dias um testando o outro e sempre pisava em mim pra ir te procurar. Eu sempre sentia falta, você nunca deu atenção, nunca se importou de verdade, apesar do que dizia. Aí eu pedia manhosa para te ver e você concordava, então tudo ficava bem!


Quando você apareceu eu abri meu coração, me despi de todas as proteções e ignorei todos os avisos. O final foi mais uma lição: a história sempre se repete. Não importa quanto tempo leve. As pessoas vão te virar as costas; podem até voltar, mas com veneno escondido, esperando o tempo certo de dar o bote. O tempo onde você estiver menos desprotegido. Queria poder dizer que estava preparada, que já esperava isso vindo de você... mas com tanta sinceridade exalando, pra que mentir nisso? Nunca realmente tive expectativas em você, mas havia, não sei, esperança... e você simplesmente jogou ela pela janela, jogou no meio da pista e ainda passou por cima com seu amado carro.

Aquele momento que tudo mudou. Coisas ditas não podem ser esquecidas. Atitudes tomadas não podem ser apagadas. Não esperei você virar a esquina, não quis olhar uma das coisas boas de minha vida indo embora (sim, apesar de tudo, você merece um pouco dessa categoria sim)... Então fiz o que faço de melhor. Fechei, bloqueei a emoção, reconstruí em mim o que nunca deveria ter sido destruído. Não esperei você desaparecer e retomei minhas manias. "Oi? Eu em casa? Não. Obrigada! Tô me divertindo por aqui em algum lugar".

Isso não quer dizer que estou bem neste exato momento, mas também não estou querendo dizer que não ficarei. Por que se tem uma coisa que sei fazer bem, é ficar bem. Fico tranquila e quieta por um longo tempo, me apegando e desapegando de coisas e pessoas, curtindo a vida como se não houvesse amanhã, aí vai aparecer alguém de mansinho de novo, ou quem sabe você vai voltar e eu boba cairei. Mas saiba que não tem problema não, por que faz bem se decepcionar de vez em quando. Com a decepção, vem a inspiração.

Nenhum comentário:

Postar um comentário